quarta-feira, 6 de abril de 2011

Revendo conceitos


Se, ao longo da vida, temos a oportunidade de rever valores e conceitos sobre os mais variados aspectos, com as comidinhas não é diferente.

Pare e pense: quantos sabores que você odiaaaaava na infância hoje fazem parte de seu menu?!

A vida vai mudando e os sabores se transformando. Há épocas que os doces são a alegria das papilas gustativas, em outras, aquela torta salgada se torna o manjar dos deuses na sua vida.

Alguns sabores, no entanto, desde sempre e para toda eternidade, ficarão de fora da sua vida. No meu caso, a cebola é, sempre foi e sempre será (acho!) minha inimiga número um, ainda assim, não consigo fazer arroz sem usar cebola (ainda que depois de pronto, lance longe as rodelas molengas... argh!). Quem explica?

Interessante é, de vez em quando, se dar a oportunidade de rever alguns conceitos. Isso porque se corre o risco de, por mera repetição da ideia, passar a vida toda sem se dar a chance de degustar certos sabores.

Dia desses fui convidada para um jantarzinho cujo cardápio era camarão na moranga. Não gosto de camarão - aliás, não gosto de nenhuma comida que me lembre que um dia foi viva... camarão com aqueles brutas olhos, 78589 patinhas e antenas gigantes? Affff! Mas fui de coração aberto apostando na moranga e nos amigos presentes.

A noite toda seguiu na maior alegria, bom vinho, bons belisquetes, bom papo, muitas risadas. E a moranga lá, assaaaando*. O cheiro, tanto da moranga quanto do recheio estavam maravilhosos e convidavam ao deguste.

Já na mesa, de prato servido, logo à primeira garfada me rendi: estava maravilhoso! Dei uma beijoca em mim mesma por ter me permitido provar novamente o camarão, depois de anos dizendo que não gostava. E saborzinho dele na moranga?! Combinação perfeita do sabor marcante do camarão com o adocicado da moranga.

Depois desse jantar, não posso mais dizer que não gosto de camarão. Aliás, acho que estou obcecada... quero mais! DEsde que, claro, o bichinho já não tenha mais antenas, patas e olhos!

Hey, que tal se permitir provar velhos-novos sabores? Você pode se surpreender!


*dica fundamental para quem pretende fazer camarão na moranga: ao invés de assar, por 3 encarnações, a dita cuja no forno convencional, coloque a bichina no micro-ondas por 30 minutos (abrindo de vez em quando para testar o ponto) e, por último, só para dar uma certa crocância, leve ao forno convencional, previamente aquecido, por uns 10 minutinhos. E pronto!

2 comentários:

Ricardo disse...

Ah, Fabi! No microondas não tem graça. O que ressalta o sabor é justamente o tempo em que a moranga fica no forno.

Agora quanto aos elementos culinários banidos da cozinha, nada tenho contra cebola, mas salsinha e chuchu você nunca encontrará em nada que eu faço! :D

Tem um treco que os japoneses chamam de "nigagori" ou "nigaori", acho que em português é pepino de santo-sei-lá-das-quantas (feio pra burro, parece uma abobrinha com vela derretida escorrida), que é amargo pra burro.

Se juntar esses 3 então...

monica disse...

Fabi querida...Nada como um feriadinho para colocar em dia algumas atividades prazeirosas...seu blog é uma graça! Criativo e informativo! Façamos mais clara em neve para este sufle da vida!!!beijokas