domingo, 6 de maio de 2012

Virada Cultural 2012

Este ano, pela primeira vez, falarei da Virada Cultural sem precisar forçar a barra para adaptar o evento ao tema do blog que, como é possível notar, trata de comidinhas. Isso porque a edição 2012 trouxe uma novidade (que parece ter sido encomendada pelo Clara em Neve [hehehe eis o cúmulo da pretensão elevado à máxima potência!]); além das milhares de atrações cultural espalhadas pela cidade, a Virada Cultural 2012 contou com uma Virada Gastronômica! Ge-ni-al!
Ao longo do Elevado Costa e Silva, fofamente conhecido como Minhocão, foram dispostas barraquinhas, como as de feira livre (que, no domingo, acontecia normalmente na rua paralela, sem se abalar com a baladaça ao ar livre que acontecia ao lado dela!). O detalhe charmosíssimo da história é que cada barraca era comandada por um chef renomado.

Quens? Alex Atala, abrindo os trabalhos à meia noite com sua galinhada Dalva e Dito (não estava lá, mas meus correspondentes [hihihi] disseram que estava um caos comprar a galinhadinha!); Janaína Ruenda, com seu 'Puchero à Love Story' (sentiram o trocadilho???); Renato Carioni, com seu exótico e mega-master-blaster-ultra-super-advanced procurado e comentado por todos 'Hambúrguer de pato com maionese trufada' (a fila estava de fazer esses! provei... não achei nada demais... fiquei com dó dos patinhos, confesso!); além de Erick Jacquin, sopa de cebola (affff); Dagoberto Torres, arepas e ceviches; Danilo Rolim, montaditos e tapas; Henrique Fogaça, sanduíche de copa lombo; Benny Novac, baby back ribs e sweet corn; Luiz Emanuel, steak tartare e batatas fritas; Lenadro Freitas e Henry Miguel Caceres, sushis e sashimi; Márcio Silva, arroz de carreteiro com pipoca; (isso aqui está parecendo aquele capítulo de Saramago que passou 5 páginas elencando nomes... vou atalhar, ok?!); Raphael Despirite, Daniela França Pinto, Vitor Sobral e Hugo Nascimento, Checho Gonzáles, Lourdes Hernández, Carlos Ribeiro, Rodrigo Oliveira, Paula Labaki e Heloísa Bacellar, com seus prosaicos e necessários: pão de queijo e bolo!

Por motivo de força maior, esse ano não virei a virada, mas às 8h em ponto, de uma manhã gelaaaaada, lá estava eu, na fila da barraca comandada por Marcos Sorares para degustar um delicioso, embora inadequado para o horário, espetinho de almôndegas picantes!! E quando digo picante, entendam algo de fazer você soltar labaredas pela boca... do jeitinho que eu gosto, ainda que eu tenha deixado meu estômago com ódio de mim, afinal, o coitadinho esperava ansiosamente pelo pão de queijo com bolo e café... que infelizmente não viu nem a cor porque a barraca estava inoperante devido à falta de energia elétrica (que aliááááás... estava transtornando a vida daquelas barracas que precisavam ligar fornos elétricos, cafeteiras e coisas do tipo para operarem... mancadita da organização, heim?! encaremos como falha de estreia... mas que não se repita, heim?!).

Enquanto degustava minhas almôndegas calientes, um morador de rua revoltado, mas lotado de razão, bradava às pessoas que já lotavam o Minhocão: "Voceis tão tudo cheio do dinhero pra dá 10 real num espetinho de carne!". Quem lhe tira a razão?! Isso porque ele nivelou pelo valor mais módico, porque o espeto de carneiro estava saindo por R$ 12, o hambúrguer de pato por R$ 15, o café (que não tinha) com bolo OU pão de queijo por R$ 10 (nó!) e por aí vai. Pagava-se pelo toque gourmet das comedidinhas, mas respeitando o tom deveras democrático da Virada... espalhadas pela cidade, lá estavam as barraquinhas de yakissoba, tempurá (tempuróleo!) e o legítimo pastel de feira... tudo por R$ 5, oras!!! Questão de escolha, né?!

Bom, para pedir perdão ao meu estômago, fechei a paragem por aquelas bandas com o trio de guloseimas de Carol Brandão: monkey brownie (brownie de banana), quindim com nozes e arroz doce com doce de leite. Eu chamaria de "Trio feito especialmente para Fabi Catarse!" (percebam que autoestima vai muito bem, obrigada, pois não?! Efeito da satisfação pós-Virada de sempre!). Três coisinhas que adoro... com destaque para o brownie: o melhor que já comi em toda minha vida até hoje!!!! Embora não seja absolutamente fã de banana assada (porque ela domina todo o sabor e ainda fica com uma textura nada apetitosa), devo confessar que ali houve uma (chic) harmonização perfeita e muito delicada dos sabores. Coisa de chef, né?! Valeu pagar R$ 10 pelas mini-micro-nano porçõezinhas (os bonitinhos ali da foto!). Meu estômago até me perdoou!

Para não dizer que não falei de música... deixo aqui o breve registro de que o show dos Titãs foi simplesmente arrasador. A apresentação que seria apenas do álbum Cabeça Dinossauro, de 1986, (um marco no rock brasileiro... fantástico de cabo a rabo), ainda contou com músicas do (na minha humilde opinião) mais fantástico e absoluto álbum dos Titãs: Titanomaquia (pra mim, a obra definitiva da banda!), além de canções de outros álbuns, como Flores e Televisão. Detalhe: todas no mais alto nível de rock'n roll... sem aquelas baladitas enfadonhas que tanto me irritavam nos shows do Titãs (aaaah, pronto... falei!!!!). Foi a catarse consagratória da Virada Cultural 2012! Já estou esperando pela de 2013...

2 comentários:

Van disse...

Eita Fabi... só na comida, hein!!! kkk
Nunca fui na virada cultural, aceito convites para o próximo ano... e espero que tenha comidinha cultural tbém!!! rs
Passando pra deixar aquele beijo e dizer que premiei seu blog com um selinho que ganhei... passa lá e pega! Não esqueça de seguir as regras, ok?!
Bjusssssssssss e saudade =*

Fabi.Catarse!! disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk a comilança foi só uma parte... depois queimei todas as calorias no show!!! Bjks, Van!!!