domingo, 22 de abril de 2012

Noivos, cuidado com a chuva: de arroz!!!

Fui madrinha de casamento de um casal de amigos muito queridos e quando recebi o convite, minha primeira pergunta foi:

- Quantos quilos de arroz você quer que eu providencie?!

De pronto minha amiga, a noiva, respondeu:

- Nenhum! É proibido!!

Ela então explicou que quando foram marcar a data das bodas a pessoa responsável pelas instruções deixou claro que é proibido jogar arroz nos noivos.

Segundo aprofundadas pesquisas que realizei (ã-rã!), descobri que jogar arroz nos noivos é uma tradição muito antiga, iniciada há cerca de 4 mil anos (caramba... as pessoas já se casavam nessa época?!), na China (claro!). O arroz é símbolo de prosperidade, fertilidade, saúde, riqueza e felicidade. Assim, jogar arroz sobre os recém-casados atrairia essas bênçãos e toda sorte de energias positivas para a nova fase do casal. Além de ser um charme ver aquela chuvinha de grãozinhos ao final de cerimônia!

Entretanto... depois de 4 mil anos, decidiram proibir a prática. A explicação é que os pobres arrozinhos foram motivo de milhares de acidentes. Vejam só que injustiça! Até concordo que aqueles grãzinhos crus, em contato com o piso liso, somando-se isso aos sapatos de saltos das madrinhas e convidadas, é uma combinação perfeita para os mais variados tipos de estabacos: dos escorregõezinhos aos duplo-twist-carpados. Nem falo aqui de incidentes como grão de arroz ir parar no olho da noiva ou do noivo, ficando o álbum do casamento bem parecido com o do casamento do Conde Drácula. Ou, ainda, de penteados arrasados depois de a noiva sacolejar a cabeça tal qual uma metaleira enlouquecida na tentativa de tirar 5 quilos de camil da cabeça. Creio que o que motivou a proibição foram acidentes que fizeram com que ao invés de buzinaço, o barulho do carro que levaria os noivos seria o da sirene do SAMU! Será?!

Pensei em bancar a super rebelde e traficar uns saquinhos de arroz no dia da cerimônia, mas logo pensei no Murphy... já pensou se meus amigos recém-casados tivessem que passar a noite de núpcias na fila do raio-X?? Aff... desisti da ideia, mas... com uma dorzinha no coração! Afinal, a chuva de arroz é um clássico dos clássicos!!! Até estão tentando substituir o agulhinha por pétalas de flores, papel picado e até bolinhas de sabão (essa sim perigosa... imaginem uma porção de bolhas de sabão estourando na maquiagem da noiva e borrocando tudo!!!! de-sas-tre!), entretanto... nada, na minha opinião, ocuparia à altura a chuva de arroz! Aliás... será que ninguém pensou e chuva de sal grosso?? Sei lá, me ocorreu isso agora, afinal, mais do que prosperidade, fertilidade, saúde, riqueza e felicidade, um novo casal também precisa espantar os olhos gorduchos, heim?! Taí uma ideia!!!!

No casamento desses meus amigos o que houve foi uma chuva de aplausos no corredor polonês formados pelos padrinhos, pais e avós dos noivos. Em termos de energia positiva, equiparado, mas ainda me pergunto se não devia ter moquiado um quilinho de arroz para jogar nem que fosse dentro do carro dos noivos!!! hehehehehe Claro que não é isso que fará a felicidade do casal lindo e fofo que eu adoro, mas... estou com isso na cabeça e assim que eles voltarem da lua de mel... vou recebê-los no aeroporto com uma chuva de arroz... porém, só depois de entregar-lhes capacetes, joelheiras e cotoveleiras!!

Credo gente, esse mundo anda muito perigoso!

Um comentário:

Van disse...

Oi amore, tuo bem?
Passando pra matar a saudade das suas histórias hilárias... você está na lista dos blogs que sigo, aliás, acabei de colocar um post divulgando... dá uma olhadinha lá!!! To te seguindo... não perdetemos mais contato!! Ah, acredita que no meu casamento não teve chuva de arroz?! Preferi fitinhas coloridas... doem menos! kkk

Mil beijos e muitas saudades!