domingo, 25 de novembro de 2012

Já lhes apresentaram um pirogue?????

Repito a pergunta do título: já lhes apresentaram um pirogue???? Mas, antes que deletem o link do Clara em Neve de seus índices de favoritos, lembro a todos que esse é um blog de família!

Estive em Curitiba no último feriado. Fui recebida por pessoas simplesmente incríveis cuja hospitalidade deixou qualquer hotelzinho 6 estrelas no chinelo! Comi como uma rainha (obesa!) e todos os dias pude provar delícias que apresentarei aqui ao longo das próximas semanas.

Começo justamente com o pirogue, um prato cuja origem pertence a poloneses e ucranianos, cada povo acrescentando suas peculiaridades ao prato. Trata-se de um tipo de pastelzinho recheado com batata (ou batata e ricota ou batata e bacon...) que deve ser cozido (como capeletes) e cobertos com molho de tomate ou cebolas refogadas (por que fariam isso????). Curitiba, para quem não sabe, recebeu muitos imigrantes vindos da Polônia e Ucrânia durante a Segunda Guerra Mundial. Junto, trouxeram sua cultura e, obviamente, sua culinária. Por isso esse prato é tão pop por lá e por aqui (SP), até semana passada, não conhecia.

Aliás, nunca vi, nem comi, nem nunca havia ouvido falar, então, quando nossa anfitriã disse que faria pirogues para o jantar, um friozinho perpassou minha espinha e a pergunta óbvia instalou-se em minha mente "Que diacho é isso, meu Deus????". Vendo minha cara de ponto de interrogação e meu sorrisinho nervoso... ela então apressou-se em descrever a iguaria. Ouvindo as palavras: massa, batata, molho...  senti-me em casa! Não penso em qualquer chance de essa combinação de ingredientes resultar em algo ruim! Ela completou dizendo que faria um molho de vina para acompanhar os piroguinhos... Oi?! Medo, de novo! Todavia, mais uma vez, tranquilizei-me em saber que vinas são como os curitibanos chamam as salsichas. Mas olha só quantas coisas aprendi num único dia!!!

Teoria muito bem, obrigada. Passemos à degustação. Depois de preparar uma mesa linda (como se comprova pela foto), hora de provar o tal pirogue! Ah, e como não poderia deixar de ser, tinha toque de chef! Sobre os pirogues quentinhos, derramamos uma conchinha de creme de leite e, então, o molho. O creme de leite suaviza o molho de tomates e vinas (!), além de sofisticar o sabor. Recomendo, heim?! Imagino que fique bom sobre outras massas como capelete, por exemplo, e molhos de tomate como sugo e bolonhesa... hummm... e por que não um pesto????? No entanto, o assunto é pirogue e, logo à primeira garfada, nhanhanham!!! Uma delícia! A princípio, pode parecer que massa recheada de batata não funciona. Nada disso! Funciona e funciona muuuito! Simplesmente adorei. Se não for à Curitiba, há várias receitinhas na internet para as prendadas (ou nem tanto) que quiserem arriscar.

E a comilança só estava começando!

Na semana que vem... o melhor hambúrguer do mundo. Acreditem: não é modo de dizer!

PS: o nome de batismo do Pirogue é PIEROG! Aportuguesei!

2 comentários:

Pedro Mello disse...

Fabiana, adorei seu blog e este post em particular. Tenho amigos em Curitiba e viajo para lá com relativa frequência e, pelo que li, ainda tenho muito o que aprender...

Um abraço,

Pedro Melo

Cassih disse...

Eu moro em Curitiba e nunca tinha ouvido falar de Pirogue haha, preciso andar mais por essa regiao :3 adorei seu blog. Sucesso, beijão