domingo, 7 de setembro de 2008

Em defesa das frutas de fato!

O sindicato das frutas está mobilizado. As reuniões têm sido freqüentes e as discussões cada vez mais acaloradas. Os advogados estão quase malucos com tantos pedidos de abertura de processo por injúria, calúnia, difamação e danos morais.

Não à toa, motivos algumas delas têm de sobra. As mais revoltadas (e com razão!) são melancia, jaca, morango e melão. As demais partem em apoio, afinal, nenhuma delas, pelo andar da carruagem, está a salvo.

As frutas há muito tempo empenhadas em só fazer o bem. Sempre levaram uma vida correta, discreta. São leves, saudáveis, ricas em vitaminas, nunca precisaram de muito mais para brotar e viver. Donas de moral ilibada, de honra incontestável, de uma hora para outra, viram sua boa imagem jogada na lama, na xepa da virtude. Agora são apontadas na rua, nas feiras e sacolões, são fotografadas e filmadas furtivamente, aparecem em reportagens de programas de qualidade duvidosa. O youtube virou seu inferno. Tudo por conta de "mulheres" que , vejam só, intitulam-se frutas. As diferenças são evidentes, gritantes, tanto moral quanto fisicamente falando, mas, pasmem, há quem veja semelhanças. Nada menos que um disparate, um abuso.

Elas, as frutas, evidentemente, não autorizaram tal associação, até mesmo porque nunca seriam coniventes com tamanho absurdo. Ver suas imaculadas imagens vinculadas a monstruosas ancas e inumanos silicones é um pesadelo que nunca imaginaram que teriam de viver. Execração pública.

A melancia é puro desgosto. Antes desfilava como destaque nas mesas mais tropicais, hoje mal tem vontade de brotar. A jaca sempre foi amada por uns e odiada por outros, e podia conviver com isso, no entanto, essa dicotomia existia por conta de seu sabor forte, nunca imaginou que suas características físicas um dia seriam motivo de sua própria vergonha. O melão, tão discreto e suave, hoje pensa em mudar de cor e virar legume. O morango é a indignação em fruta. Quase uma unanimidade. Versátil, saboroso, sofisticado, mas acima de tudo, muito digno, hoje tem rompantes incessantes de raiva ao perceber que vulgarizam-no, rebaixaram-no a nível tão chulo.

O sindicato está empenhado, as demais frutas são solidárias às reinvindicações , mas parece que os danos são irreversíveis. Somente o tempo, que faz apodrecer todas as frutas, pode resolver esse problema. Se para as frutas já tem sido difícil, imaginem o que tem sido a vida das Mulheres de fato...

2 comentários:

Chéri disse...

Aqui em Paris você não tem mulheres-frutas. Mas a agressão deles em relação às frutas são os horríveis "sirops", tipo aqueles xaropes de groselha, sabe? E tem de todos os, digamos, sabores.

Eles adoram. Eu nem passo perto.

Bj!

FabiCatarse!! disse...

...ah, mas aí em Paris as manifestações devem ser bem mais legais! Aqui, sabe como é, tem aquele líder sindical que fica berrando ao microfone, demagogo até cansar. No fundo, no fundo, o motivo pela gritaria toda nem é a defesa dos direitos das frutas, mas é que ele, o tal líder sindical, sonha mesmo é ser presidente do Brasil... e depois a gente é que descasque esse abacaxi!! Já vi esse filme...