segunda-feira, 21 de março de 2011

O resultado da espera

Ela acordou sozinha. Despertou quando o sono acabou, por isso, acordou feliz. Não apenas por isso, mas também e, principalmente, porque era o seu aniversário. Diferente de muita gente, aniversário, para ela era data esperada.


Todos os anos ela preparava uma super festa, ficava disponível para receber todos os amigos, todos os presentes, todos os votos de felicidades. Naquele ano, porém, decidiu fazer diferente: ficaria caladinha, quietinha, ia esperar pela lembrança de todos, até porque ela estava, assim, meio que adivinhando que a turma estava preparando uma festa surpresa, coisa que, por conta das suas festas, ninguém conseguia surpreendê-la, ela sempre marcava sua festa de aniversário com um mês de antecedência.


Seu marido saiu cedinho, levando as crianças para a escola. Ela ouviu tudinho, mas fingiu que estava dormindo... não queria forçá-los a não dar os parabéns pela manhã.


Não foi trabalhar. Não queria forçar o pessoal a dar os parabéns antes da festa.


Foi ao salão, queria ficar linda para sua festa surpresa. Mas foi a um salão diferente... não queria forçar o cabeleireiro a dar os parabéns antes da festa.


Passou o dia em casa:


- Engraçado ninguém ter ligado até agora.


Num instante desfez essa nuvenzinha de preocupação, afinal, era óbvio que todos estavam fingindo que esqueceram seu aniversário.


E assim passou o dia, preparada para a surpresa. E assim o dia passou. E nada.


Buscou os filhos na escola. Como seus filhos mentiam bem... qualquer um diria que eles nem tinham ideia de que era aniversário da mãe deles.


Já era noitinha quando o marido ligou pedindo desculpas: (Ufa! Já era hora!)


- Reunião de última hora... terei de substituir o chefe que está viajando. Melhor nem me esperar acordada. Nos vemos amanhã – como assim?


Ela começou a achar tudo muito, muito, muito estranho quando os monteiros marcaram 23h30! Será possível uma festa de aniversário em 30 minutos?


Adormeceu no sofá. Era fato: ninguém se lembrou do seu aniversário.


Acordou na cama. O marido a pusera lá. Achou que o dia anterior tinha sido um pesadelo. Olhou no calendário do celular e, infelizmente, era verdade, seu aniversário foi ontem. Chorou.


Depois de muito rolar na cama, rolou para fora dela e rastejou até o banheiro. Estava um bagaço. Olheiras chegando na bochecha, o penteado do dia anterior virou um pavor e, para completar, um torcicolo de matar.


Já passava das 10h, então, concluiu que o marido levara as crianças à escola.


Passou uma água no rosto, escovou os dentes e desceu vagarosamente as escadas. Zonza de tristeza e frustração, pensava em fazer as malas e sumir de casa. Mal teve tempo de completar o pensamento fujão quando, ao entrar na cozinha, deu de cara com uma multidão eufórica:


- SURPREEEEEEEEESA!


No ano seguinte e em todos os outros que sucederam, ela, dois meses antes do dia, anunciava a super festa que faria.

Não curtiu muito esse lance de festa surpresa. As surpresas podem ser surpreendentes demais.

----

Desculpem-me pela demora na publicação... Está acontecendo tudo ao mesmo tempo agora na minha vida!!


Um comentário:

sampaiosara disse...

Adorei o texto! Me identifiquei com a personagem porque para mim aniversário também é uma data esperada, por isso mesmo aviso com antecedência, nada de surpresas! Heheh.