domingo, 1 de março de 2009

O cérebro, o coração e a boquinha nervosa*

Comida e emoção têm uma relação muito estreita. Seja no preparo ou na degustação, o estado de espírito influencia diretamente o resultado. Ainda que a razão dê alguns pitacos, o coitado do cérebro é sumariamente posto de lado quando as emoções, ao sabor dos tuntuns do coração, resolvem ficar no comando das ações.
Uma refeição preparada com carinho leva ingredientes que vão além dos que estão nos livros de receita, um temperinho que ninguém vê, mas está ali, deixando até o mais trivial dos pratos com sabor de manjar dos deuses!

Sentar-se à mesa com os nervos à flor da pele, porém, desanda qualquer prato. Comer torna-se algo mecânico: a comida é posta na boca, mastigada e engolida sem que se perceba de fato qualquer uma dessas ações. É mais ou menos por aí que mora o perigo, não é mesmo?! Quando a boquinha fica nervosa, resolvemos distraí-la com uma comidinha aqui, um belisquete ali, uma bobagenzinha acolá e, nessa brincadeira, perdemos o controle!!

Crescemos acreditando que comida é a solução para tudo: se estamos felizes, comemos para celebrar; se estamos tristes, ansiosos, deprimidos, comemos para desviar a atenção do coração para a boca e o estômago. Mas não é nossa culpa!! Trata-se de um comportamento arraigado, inconsciente. Fomos praticamente condicionados a isso. Culpa de nossas mamães (hehehehehe), afinal, quando bebês, ao primeiro choro, se o caso não era de fralda, lá vinha o leitinho para acalmar nossos ânimos e, consequentemente, os ouvidos do restante da família.

Desde a infância 'aprendemos' que os belisquetes são um calmante, uma 'recompensa' para o bom comportamento. 'Aprendemos' também que essas recompensas sempre vêm em forma de coisinhas gostosinhas: doces, chocolates, salgadinhos... nunca comida, lógico, afinal, quem gostaria de ter como prêmio um prato de brócolis com beterraba e feijão, heim?! Pior... aprendemos isso direitinho e até hoje, na vida adulta, nos recompensamos com essas gostosuras... nunca com um pé de alface fresquinho ou uma xícara de chá de camomila... nããããão... é sempre um chocolate enorme (porque eu mereço), um pote de sorvete (porque eu preciso), uma pizza quatro queijos (porque eu quero e quero agora!) e assim por diante!!

Ai, ai... é tão difícil desaprender o que foi aprendido tão diretinho há tantos anos! Entretanto, mais do que aprender a se desvencilhar das armadilhas das emoções (que nos faz usar o velho método da recompensa!), precisamos aprender a equilibrar emoção e razão, na vida e na mesa. Merecemos um chocolate enooooooorme?! Claro que sim, oras bolas! Mas nosso corpo, essa máquina tão perfeita, também merece uma boa dose de ingredientes que o faça funcionar sempre bem e cada vez melhor! Equilíbrio!

*texto escrito por uma pessoa que está morrendo de culpa depois de ter comido uma panela de brigadeiro porque está ansiosa com as coisas da vida... Deus! Deus! Deus!

8 comentários:

Nana disse...

hahahaha Fabi estou no mesmo barco querida, é complicado viu.
E da-lhe kg a mais.
Bjss

As Turcas disse...

Estou nessa mas amnhã é segunda feira, acabou o carnaval, o ano definitivamente começou... Vamos nos unir e compensar ansiedade em algo que nos deixe melhor e não pior. Toda vez que como muito me sinto bem mal.
Fabi, tem respostinha para vc no blog. Bjs

Silvestre Gavinha disse...

Ah, Fabi.
Quantas sábias palavras.
Mais certas que homemxtic-tacs....
Pior é quando os quilos já estão nas tampas e a gente nem pode descontar no brigadeiro.
O negócio daí é correr, nadar, escrever....
E tomar chá (de preferência de vergonha na cara) e tentar, como você diz, se equilibrar.
PS. Palavras escritas por alguém que engordou 4 kg em 5 semanas e já não cabe mais nem em si, que dirá nas roupas que tem. Hihi.
Brigadinha pela visita.
Beijo enorme.
Marie

Anônimo disse...

Fabi, quem lê esse texto até pensa que você é gorducha. Maior magrela e fica sentindo culpa por uns brigadeiros de nada! Você pode comer uma panela de brigadeiro por dia.

Bj

Fabi.Catarse!! disse...

Nana... pior é que esse barco tem toda a pinta de canoa furada, heim?!!! hehehehe

Turcas, o jeito é mesmo encarar a vida de galtina light em punho!! Feliz Ano Novo, né?!

Marie... sabe, estou revendo essa minha teoria do Tic-tac... embora os amigos tenham confirmado (salvo dois ou trÊs) que não comprar tic-tac de jeito nenhum!!! hehehe Quanto ao chá de vergonha na cara.. tem receitinha, amiga?! Me passa!!! kkkkkk

Anônimo, me chamando de magrela assim nem precisa ficar anônimo!!! hehehehehehe Mas, sabe, se for seguir suas orientações essa magrela aqui vira uma baleia em dois tempos...

Beijos a todos!

As cartas que eu não mando disse...

estava lendo seu texto e tomando um yogurte, pq queri algo pra saciar minha deprê,a doraria uma lasanha (mas ia demorar mto), tem hamburguer na geladeira (mas a preguiça acompanha a tristeza), oq tem pronto e fácil?!?!? esse yogurte que eu nunca tomo, e va ser vc mesmo... mas agora vou seguir seu conselho e tomar um cházinho de camomila, de erva cidreira e maracujá misturados pra ver se me acalmo!!!
adorei... rs
bjs

Cal Moreira disse...

Seu blog é muito interessante! apareça lá no meu, o Maça do Amor (blig.ig.com.br/primeiramordida) e depois me diga o que achou.
Um abraço
Cal Moreira

Regis disse...

forrrça, fabi!!!!!!!!! depois te dou umas dicas de alimentação saudável! ahahahahahah